Sexo com Espíritos , será possivel ?

  • 0 Respostas
  • 63 Visualizações

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ricardo

  • Moderador Global
  • Aprendiz de Mestre
  • *****
  • Mensagens: 712
  • Sexo: Masculino
Sexo com Espíritos , será possivel ?
« em: Março 12, 2018, 03:09:07 pm »
Encontrei na net e fiquei curioso  ??? Será possível ? O que acham ?

Sempre minha mãe embutiu na minha cabeça que não é bom dormir nua. Escutava essa frase milhões de vezes durante anos e anos. E sempre que ela entrava no meu quarto e me flagrava dormindo sem roupa, me acordava aos empurrões para eu me vestir. Pensava: "Mais que paranóia chata! Tem coisa melhor que dormir pelado? Qual é o problema nisso?"

Depois de muito tempo, ela veio me relatar o porquê disso tudo. Contou-me ela que, na nossa família já aconteceu casos de sexo com espíritos. Falei: "O quê? Mas como é possível isto?" Ela então me contou o primeiro caso...

Disse que aconteceu com uma de minhas tias, sua irmã: Estava ela dormindo sem roupa, quando despertou sentindo uma coisa a alisá-la a pele. Que naquele momento ficou desesperada, mas imóvel, não conseguia ver nada, apenas sentia algo a acariciá-la. Levantou da cama aos gritos e começou a correr pela casa enrolada no lençol. Gritava, gritava desesperadamente, e o mais incrível é que por muitas vezes ao correr pela casa o espírito (ou sei lá o que) puxava o lençol, a queria nua. Disse que isso durou uns 20 minutos e que várias pessoas que estavam na casa presenciaram o fato, e que o tal espírito só se afastou depois que as pessoas que estava na casa começaram a rezar um terço (Minhas tias são muito católicas).

O segundo caso é dela própria: Disse que por muitas vezes sentia algo passar a mão em seu corpo (sem ver nada), durante muitos anos, mas que até então não havia passado disso. Mas em uma certa noite, ela já estava deitava na cama com bastante sono e começou a sentir o que de costume, mas que desta vez aquela “coisa” ultrapassara os limites. Relata que diferentemente dos outros dias, naquele momento não relutou como das outras vezes e acabou por deixar se envolver naquela situação. E que fechava os olhos e sentia um prazer indescritível.

Disse que em um certo momento esse “ser” disse a ela mentalmente que ela não podia abrir os olhos, e que nesse momento confessou que tremia de medo e curiosidade. Mesmo sem abrir os olhos, começou a dialogar com ele: "Quem é você? Por que não posso vê-lo?" Perguntou ela. Não obteve nenhuma resposta. Começou então a entrar numa agonia, pois estava gostando do que sentia, mas se sentiu incomodada pela “imposição” feita pelo seu “parceiro espiritual”.

Descreve sendo como uma coisa maravilhosa, que ele a envolvia de uma maneira incrível, tinha o corpo grande e robusto, bem definido e a pele macia. E, dizendo ela, que ao apalpar com a sua mão, verificando todas essas características queria ver com seus próprios olhos, imaginava se tratar de um ser veramente lindo. Até que num certo momento não aguentou e desrespeitou a “regra” e olhou... Sim, abriu os olhos e afirma: "Não sei como não enfartei ali naquele momento!" Descreve ela: “Tinha ele um aspecto monstruoso! Tinha o corpo muito definido, formas lindas, mas a pele, diferente do que eu sentia com as minhas mãos e com os olhos fechados, era uma pele que se assemelhava a de cobra, ou lagarto, era áspera e esverdeada, encardida... tinha os olhos vermelhos como sangue e tinha um olhar que eu sequer consigo descrever... era uma mistura de olhar apaixonado e triste, sei lá, como se tivesse se arrependido de algo... E, em mais ou menos na fração de 5 segundos ele desapareceu".

Até hoje ela conta isso com uma emoção muito grande, acho que não é nada fácil passar por uma experiência dessa. Se fosse eu, acho que tinha morrido ali mesmo. E acreditem, depois dessa conversa, fiquei mesmo com medo, não a ponto de deixar de dormir pelada, mas fico imaginando se isso é algo espiritualmente hereditário, pois sei que muito da mediunidade que eu tenho, puxei a minha mãe, mas é claro que nem me comparo ao nível mediúnico dela. Aos poucos posso relatar a vocês as coisas incríveis que ela já viveu. Costumo dizer que queria parar seis meses da minha vida só para ouvi-la e depois colocar essas experiências num livro.

Bom, e tendo passado uns anos dessas revelações, eu já nem me lembrava mais dessa estória toda, quando numa noite aconteceu algo que me fez lembrar exatamente do que aconteceu com a minha tia, no primeiro caso...

Estava eu deitada na cama, bem, semi-nua. Estava de bruços de frente ao notebook, quando sinto um sopro no ouvido. Bom, até aí tudo bem, isso não é tão incomum acontecer comigo. Comecei a sentir uma presença, era uma energia quente, podia sentir um calor ao meu lado. Fiquei com medo e liguei a luz, me cobri com o lençol e voltei a teclar no computador “fingindo” que nada estava acontecendo e torcendo para essa “coisa” seguir o seu caminho. E, como aconteceu algumas outras vezes, senti que aquela “coisa” não queria exatamente o meu corpo, mas queria incorporar-se em mim. Relutei muito. Levantei e entrei na água fria, liguei o som, a TV, e comecei a orar desesperadamente em voz alta. Depois me vesti e fui dormir na cama com meu filho (ele neutraliza muita coisas em mim, por isso às vezes o uso como escudo espiritual).

Contei a minha mãe, e ela me disse que tem que ter muito cuidado, pois os “demônios” estão a solta. Acho que essa tendência a ser super-cristã impede muito a mediunidade dela. Retruquei-a, dizendo que não se tratam exatamente de “demônios” a solta, mas na maioria das vezes são espíritos viciados (como da minha tia, viciados em sexo), que precisam do corpo de uma pessoa encarnada para sentir prazer e suprir seus vícios.

Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra