Autor Tópico: Trance e a Espiritualidade  (Lida 83 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ricardo

Trance e a Espiritualidade
« em: Março 05, 2018, 11:22:41 pm »
Trance (Transcender)

O trance é o som que nos faz “transcender” do lugar em que vivemos, a um outro ...
Seja pelo ritmo da batida ou pela diversidade de sons, todos transcendemos a um mundo utópico onde há liberdade, contacto com a natureza e com todos os seres que habitam esse mesmo lugar, de maneira pacífica, unida, afetuosa e respeitosa. (P.L.U.R ॐ) - Peace, Love, Unity, Respect.
Infelizmente, por conta de atitudes de pessoas que desconhecem a verdadeira filosofia, a batida que nos faz transcender foi estereotipada pela sociedade. (...)

Desta forma, em busca do Equilíbrio para o corpo e para a mente, e inspirados na dança de Shiva Nataraja, surge este núcleo que visa difundir o movimento e a verdadeira cultura trance.

Porquê a dança de Shiva ? –Shiva é o rei (raja) dos dançarinos quando se manifesta no aspecto Nataraja, que é o momento em que Shiva através da dança (Tandava), cria, conserva e destrói o universo, prezando sempre a renovação e purificação dos aspectos negativos do homem, como a ignorância.

Imponente em sua roda de fogo, novamente o símbolo da renovação, Shiva representa o eterno movimento do universo, impulsionado pelo tambor e pela dança.

Nas raves, temos o psytrance com sua batida repetitiva e marcante como a de um tambor, assim como o tambor da dança de Shiva e como os usados por shaman's para atingir o estado de transe, êxtase da alma.

E temos, é claro, em sintonia com o ritmo da musica, a dança , dança de cada um, ritual de libertação que experimentamos individualmente. E a dança conjunta, o espetáculo, a soma da dança de cada um, resultando num espetáculo de celebração e magia que tem o poder de destruir; destruir a tristeza e a amargura da vida, assim como a dança de shiva destrói a ignorância, com o poder de renovar; renovar nossas esperanças, recarregar nossas energias, dando-nos cada vez mais força para continuar, e claro, com o poder de criar; pois a partir dessa comunhão entre o raver e a energia invocada que ali foi estabelecida, cria-se a possibilidade de imaginarmos qualquer coisa, tendo-a como algo real, tocável, uma porta aberta para nosso mundo interior.

E é esse o papel de cada raver, uma missão espiritual, a necessidade de se trilhar essa jornada, que carregamos subjetivamente na nossa alma... Na pista, na dança, na harmonia com o som, o raver, mesmo às vezes sem saber, invoca o espírito de Shiva Nataraja, e ali, tomado pela divindade, ele abre as portas de sua percepção, entregando-se de corpo e alma para o grande objetivo da festa, ao qual chegamos pelo meio da dança, da música e de todos os estímulos audiovisuais da rave: a transcendência ! <3

Adaptado por mim :)
fonte: Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra

O exemplo de uma música que já me proporcionou algumas viagens para quem quiser ir mais além eheh


(2ª foto - Zen Spirit Photography)



Tags: