Autor Tópico: Olá extraterrestres. Os cientistas planeiam enviar mensagens ao espaço  (Lida 75 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ricardo

Durante décadas que os cientistas tentam comunicar com seres de outros planetas. Mas como fazê-lo? A organização espacial METI propõe um simples "Olá" para começar.

Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


Várias têm sido as tentativas, por parte dos cientistas, de comunicar com os outros planetas apesar de ainda não saberem se aí existe vida. Mas, e se existir? Vale a pena tentar comunicar com os extraterrestres?

A METI (Messaging Extraterrestrial Intelligence) — uma nova organização espacial, criada em 2015 e sediada em São Francisco — tem o objetivo de encontrar a forma ideal de comunicar com outros planetas. Em vez de esperar que, eventualmente, algum dia os ET se lembrem de aparecer ou de dizer alguma coisa, a METI vai dar o primeiro passo: “Se toda a gente que pode enviar uma mensagem decidir, apenas, recebe-la, esta será uma galáxia muito sossegada“, explica o astrónomo Andrew Fraknoi, segundo o PHYS. Chegou, assim, a altura de usar uma regra básica de boa educação e essencial no primeiro contacto com alguém: dizer “Olá”.

No final de 2018, a organização ambiciona enviar algumas mensagens, via rádio ou sinais laser, para um planeta rochoso que circunda a Proxima Centauri (a estrela mais próxima do sol) e, depois, para destinos mais distantes, a centenas ou até a milhares de anos-luz. Este será o primeiro esforço para enviar poderosas, repetidas e intencionais mensagens para o espaço, durante meses ou anos.

No entanto, coloca-se uma questão: E se os extraterrestres forem perigosos e hostis? Não sabemos bem com quem estamos a lidar. Vamos mesmo arriscar que eles saibam que existimos e de onde viemos? Muitos estão contra a ideia de entrar em contacto com os extraterrestres, como, por exemplo, o físico Stephen Hawking: “não devemos chamar a atenção para nós mesmos”. Mas há pessoas mais positivas:

Penso que há alguma coisa para se aprender, nada a temer, e pelo menos a possibilidade de descobrir algo verdadeiramente revolucionário: Termos companhia” defende o astrónomo Seth Shostak.
Além de se poder vir a descobrir que há vida noutros planetas, esta também pode ser uma forma de descobrir o que realmente significa ser humano.

Ao refletir sobre como podemos comunicar o que significa ser humano a alguém que não é humano, nós vemos-nos de forma diferente”, acredita Dalia Rawson, responsável do METI e diretora-geral do Silicon Valley Ballet.

Fonte: Observador Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra



Tags: