Autor Tópico: Invocação aos espíritos celestes superiores  (Lida 66 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ricardo

Invocação aos espíritos celestes superiores
« em: Março 02, 2018, 05:15:13 pm »
Para sempre seja louvado o Santo nome do Supremo Criador, a quem humildemente reverencio nesta hora solene. Ao Senhor, excelso ADONAI, dirijo minhas mais fervorosas preces, suplicando-lhe para que me seja propício e me conceda a honra de enviar um de seus mais humildes mensageiros, para que eu possa, por sua mediação, lograr o que me proponho lhe pedir com grande acatamento e veneração. Não veja em mim um soberbo ou um cético que se atreve a lhe molestar por orgulho. Veja em mim, ó poderoso ADONAI, o mais insignificante dos seres que vivem e moram na criação, prostrado humildemente diante da Divina Majestade do seu Deus e Criador, suplicando com verdadeira fé e grande desejo, poder conhecer por intermédio dos seus espirituais mensageiros, um lampejo de sua glória imaculada. Cheguem também minhas súplicas a todos os espíritos celestes superiores, para que eles intercedam por mim ante o glorioso trono do Altíssimo, Soberano Criador de todas as criaturas, a fim de que se digne a atender este meu pedido, pela intercessão dos anjos de luz, ELOHIM e JEHOVAH. Tenho procurado me tornar o mais perfeito possível, na pobre e nunca satisfeita condição humana, a fim de que me julgue digno de poder contemplar a sua gloriosa eminência. Perdoa-me dos defeitos que ainda me cobrem e não os considerem empecilhos aos meus pedidos. Novamente invoco a todos, especialmente aos poderosos ADONAI, ELOHIM e JEHOVAH, que sejam satisfeitos os meus desejos nesta hora, sendo testemunha os astros que exercem seus poderosos influxos sobre o estrelado firmamento. Venha a mim a sua resplendente luz em forma do glorioso mensageiro, para que eu receba por seu intermédio os dons da sabedoria, da honra e da glória até que, purificado e livre de todas as impurezas da carne inerentes às fraquezas do homem e sempre defeituosa natureza, possa contemplá-lo em toda sua Soberana Majestade e glória. Receba esta minha humilde súplica e eternamente, meu coração sincero e agradecido, lhe oferecerá adoração e homenagem.

Esta invocação deverá ser repetida quatro vezes, durante quatro noites, ou seja, que cada noite se recitará quatro vezes, elevando a alma a Deus e os olhos dirigidos ao firmamento estrelado. Na quarta noite ao terminar a ultima invocação, você perceberá uma música muito doce e melodiosa acompanhada de coros celestiais. Uma claridade diáfana irá aumentado progressivamente, surgindo pouco a pouco a visão celeste em forma de um anjo de luz, de incomparável beleza, rodeado de infinitos espíritos celestiais, formando verdadeira guarda de honra. Com voz sonora e dulcíssima dirá o anjo estas ou parecidas palavras:

Fui enviado como mensageiro da Divina Majestade. Suas preces foram atendidas, mas para lograr suas graças é preciso ser digno delas. Não se esqueça, ó mísero mortal, que a Divindade só concede aqueles dons que sua infinita sabedoria julga convenientes segundo o grau de perfeição dos seres que a sua grande bondade acode em humildes preces. Siga o caminho da absoluta perfeição, com o qual logrará todos aqueles benefícios que deseja. Se assim o fizer, você me terá sempre a seu lado em forma invisível para si, porém, servindo-lhe de anjo tutelar em seu trânsito pelo planeta em que vive e mora pela permissão de Deus. Agora me separo momentaneamente para regressar novamente ao lugar em que devo permanecer à espera das ordens que se digne a me transmitir.

Neste momento a visão desaparecerá, ficando unicamente uma rajada luminosa que desaparece pouco a pouco. Aos anjos de luz não há necessidade de fazer pedidos por meio de palavras, pois Deus e os espíritos superiores vão concedendo-nos os dons a que nos fazem merecedores, além de conhecerem perfeitamente nossos pensamentos, desejos e ações. Quando a visão celeste tiver desaparecido, deve-se recitar com grande fervor a seguinte oração em ação de graças pelo bem recebido:

Ó Deus eterno e infinito! Eu, o mais mísero dos mortais, fui favorecido com a visita do seu celestial mensageiro. Como poderia, meu Deus e meu Criador, exprimir com palavras o quanto lhe sou agradecido pela bondade com que se dignou me favorecer? Minha alma, embargada de emoção e agradecimento, não encontra palavras para expressar quanto amor e veneração nos professa. Receba, Senhor, tudo quanto sou e valho, e o afeto mais sincero de minha alma, coração e sentidos, até que despojado deste envoltório carnal, passe a fazer parte dos seres que em eterna harmonia entoam cânticos celestiais em honra de sua admirável excelsitude e glória. Amém.

O GRANDE GRIMÓRIO: Le Grand Grimoire - Les Clavicules de Salomon



Tags: