Autor Tópico: Correu mal o Jogo do Copo  (Lida 317 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Sara

  • Visitante
Correu mal o Jogo do Copo
« em: Julho 17, 2016, 09:39:43 am »
Correu mal o Jogo do Copo

Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


Vou relatar o que aconteceu comigo quando tinha 12 anos de idade.

Todo mundo sabe que na escola as crianças aprendem de tudo. No ano de 1998, eu e minhas irmãs ficamos viciadas no Jogo do Copo, também conhecido como Tabuleiro. Tudo começou com alguns colegas das minhas irmãs que já estavam praticando a brincadeira há dias e as chamou para participar. Os dias foram se passando e minhas irmãs estavam cada vez mais viciadas nesse Jogo demoníaco.

No início era tudo muito legal, espíritos se apresentavam como nossos parentes e nos falavam tudo o que a gente mais desejava saber, como com quem iríamos nos casar, ou o que iria acontecer no dia seguinte etc. Nisso, a gente estava praticando duas vezes na semana, no final da tarde, sem nossas mães saberem o que estávamos fazendo.

Minha mãe, do nada, começou a frequentar uma igreja evangélica e para não ir só me levava junto com ela. Nisso eu indo com ela à igreja, estava começando a sentir que aquela brincadeira não era uma coisa boa. Até que um dia a melhor amiga da minha irmã disse do nada que não iria mais participar do jogo por que ela disse que tinha algo estranho, e que estava começando a sentir que não era de Deus e começou a discussão entre elas na sala de estar da minha casa, com a vela posta em cima do copo e todas as janelas e portas fechadas.

Daí, essa amiga da minha irmã simplesmente saiu e foi embora. Detalhe: A brincadeira só funcionava se tivesse um médium na mesa, fora isso o copo nem poderia sair do lugar onde estava posto, e essa amiga da minha irmã era a médium da mesa. Foi então que começou a discussão. Como poderia a brincadeira funcionar se ela tinha desistido de participar? Foi então que elas, já de tanto pensar e viciadas nesse jogo horrível, olharam para mim e tiveram a infeliz idéia de testar se eu era a médium da mesa. Nunca me esquecerei, lembro-me como se fosse hoje, ao por o dedo no copo minhas irmãs juntas com as amigas delas perguntaram: "Espírito de luz, você está aí?"  O copo se moveu vagarosamente para a palavra Sim que estava escrito na mesa. Elas novamente perguntaram:"Espírito de Luz, quem é a médium da mesa?" Aí ele vagarosamente foi para as letras que estavam escritas na mesa  e "escreveu" o meu nome. No momento o medo foi tão grande que minhas mãos ficaram dormentes e comecei a sentir febre. Daí em diante viciei junto com minhas irmãs, e em vez de fazer o jogo uma ou duas vezes na semana, passamos a fazer todo dia no final da tarde...

Minha mãe descobriu que a gente estava fazendo isso e começou a nos proibir de fazer o jogo, até pelo fato de ela já estar frequentando uma igreja. Ela sempre dizia que o jogo era do demônio, mas mesmo assim, eu estando indo junto com ela para a igreja evangélica, não me importava e continuava praticando o jogo. Até que um dia fomos fazer o jogo na casa de uma colega da minha irmã mais velha, pois nossa mãe estava sempre no pé e vigiando a gente para ver se estávamos fazendo o jogo. Fomos escondidas para a casa dessa colega e fechamos todas as portas e janelas. Eu, muito corajosa, fui a primeira a ajeitar as letras na mesa...

Ao iniciar o jogo, a primeira coisa que o espírito disse foi: "Eu quero que a Nayla saia da mesa, ela e a colega dela". Eu fiquei frustrada. Por que ele não me queria na mesa? Birrei e continuei sentada... Novamente ele pediu, só que dessa vez o copo se moveu com mais rapidez e pediu: "Nayla, saia da mesa". Minhas irmãs já impacientes, brigaram comigo e tive que sair da mesa, eu e uma colega minha que de vez em quando ia à igreja comigo junto com minha mãe. Mas como sempre fui curiosa, saí da sala mas fiquei espiando pela brecha da porta. Até que o mais terrível aconteceu....

Uma amiga da minha irmã pediu para o espírito se ela poderia fazer uma pergunta a ele só de mente, pois ela disse que não queria que as pessoas da mesa soubessem o que ela iria perguntar a ele, e assim foi feito. Ele a concedeu e ela fez a pergunta. Ficou-se um tempo em silêncio, aí ela disse: "Pronto. Já perguntei." Ele respondeu: "Pergunte novamente. Não entendi." Então ela repetiu a pergunta e nada, o copo parou de se mover e ficou parado. Até que ela, já irritada, perguntou: "Quem está aí?" Foi então que o copo foi para as letras e todas as meninas soletraram as letras, e escreveu o seguinte: SATANÁS.

Ainda me recordo do desespero de minha irmã mais velha gritando de medo, e ele continuou dizendo: "Vocês são umas tolas. Acharam mesmo que eram parentes de vocês que estavam falando com vocês? Não era não, era eu o tempo todo." E nisso o copo começou a girar tão forte na mesa que em vez delas segurarem o copo, elas estavam colocando as mãos no canto da mesa para que o copo não caísse não chão. Enquanto umas choravam de medo, outras rezavam o Pai Nosso. Daí o copo parou de girar e novamente elas soletraram: "Não adianta rezar por que eu não vou embora, vou tirar a vida de vocês, não ficará uma sequer viva nesta sala". Foi então que eu me juntei à elas na mesa. Não me pergunte como tive essa coragem, mas fui porque não aguentava mais ver minhas irmãs gritando de pavor e soluçando de tanto chorar.

Rezamos de mãos dadas, todas nós juntas. Lembrando que isso começou às 16:00hs da tarde, e depois de muita luta, ele foi embora no horário das 19:30hs. Depois disso, minhas duas irmãs apanharam do meu pai, e eu passei a frequentar cada vez mais a igreja, na qual hoje sou evangélica.

OBS.: Quero pedir a todos que não tentem fazer esse jogo. Ele é demoníaco. Se conhecerem alguém que esteja fazendo avisem para não o fazer. Hoje minhas duas irmãs mal falam disso, elas carregam um trauma muito grande e não suportam nem ouvir relatos parecidos.



Tags: