Mensagens recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10
1
Criaturas Lendárias / Mundo do Lobisomem
« Última mensagem por Ricardo em Março 13, 2018, 12:14:38 am »
Os lobisomens aparecem em muitas histórias antigas. Em algumas histórias, eles próprios se transformam em lobos. Podem conseguir isso cobrindo-se com uma pele de lobo, bebendo água depositada em uma pegada de lobo ou esfregando um ungüento mágico sobre o corpo. Em outras lendas, as pessoas são transformadas pelo poder mágico de outras.
 
Pelo mundo todo, lendas e superstições mostram o lobisomem como um personagem maligno. De acordo com antigas crenças, é um homem que possui a maldição ou poder de transformar-se em lobo durante a noite, em particular sob a influência da lua. Presumia-se que a maldição era contraída através da mordida de um outro lobisomem, ou amaldiçoada por um mago. A imagem mais comum é a de uma criatura do mal, percorrendo a noite em busca de vítimas, tanto animais quanto humanas. Os lobisomens, na maior parte das histórias, tentam comer as pessoas. As pessoas que são ameaçadas pelos lobisomens usam vários métodos para trazê-los de volta à forma humana. Entre esses métodos incluem-se dizer o verdadeiro nome do lobisomem, bater três vezes na testa dele e fazer o sinal-da-cruz. De acordo com as histórias, um modo de se descobrir a identidade do lobisomem é ferí-lo depois procurar uma pessoa que tenha os mesmos ferimentos.
 
As histórias sobre os lobisomens já foram muito comuns na Europa, com vários nomes, e se difunde no Brasil pelas vilas e roças. É um homem que se transforma em lobo ou cão. Geralmente é descrito como um homem recoberto de pêlos de lobo que, nas altas horas de Sexta-feira, sai à procura de suas vítimas, de quem bebe o sangue. Lendas de outras partes do mundo contam sobre pessoas que se transformaram em outras espécies de animais. Entre esses animais estão os tigres, em Mianmá e na Índia; as raposas, na China e no Japão; os leopardos, na África ocidental; e as onças, entre os índios da América do Sul.
A palavra técnica para lobisomem é licantropo. Essa palavra vem do nome de um rei da mitologia grega, Licaão, que foi transformado em lobo pelo deus Zeus. Licantropia é uma forma de doença mental em que a pessoa imagina que é um lobo.
 
Lendas e superstições mostram o lobisomem como um personagem malígno. Um homem ou espírito na forma de um lobo que vaga pela terra à noite. De acordo com antigas crênças, é um homem que possui a habilidade da transmutação em um lobo durante a noite, em particular sob a influência da lua.
 
Esse termo foi originalmente usado para descrever um homem capaz de transformar-se em um lobo, mas hoje é mais utilizada na psiquiatria para descrever um bem conheçido tipo de alucinação. É uma doença psicológica a qual o efeito é a crênça, por parte do infectado, de que seja realmente um lobisomem. Em muitos casos Lincantropia é o resultado de um ocorrido desejo por poder ou até mesmo desejos sexuais reprimidos. Mas existem alguns lincantropos que são mais afetados mentalmente do que outros, tornando-os muito perigosos por seus arredores, e até por matar em extremo.

As lendas sobre Lobisomens tiveram início na França, no séc. XV. Mais de 30.000 ações judiciais contra Lobisomens aconteçeram. E quase 100 delas foram executadas pois eles teriam cometido seus crimes na forma de um lobo. Na verdade esses pobres diabos eram apenas Lincantropos.
 
Não se sabe exatamente quando os Lobisomens apareceram. A primeira aparição deve ter ocorrido no século 5 a.C., quando os Gregos, estabelecidos na costa do Mar Negro, levaram estrangeiros de outras regiões para mágicos capazes de transformar a si mesmos em lobos. Os anciãos diziam que essa metamorfose tornava possível a aquisição da força e astúcia de uma fera selvagem, mas os Lobisomens retiam suas vozes e vislumbre humanos fazendo com que não fosse possível distingui-los de um animal comum. Por outro lado, a verdadeira e mais comum lenda dos Lobisomens nasceu em terras francesas.

De acordo com as lendas, existem quatro formas de alguém se tornar um Lobisomem. Elas vêm a seguir:

 
1a: Pela própria maldição, resulta em o que é chamado de Lobisomem Alpha, que pode ser visto como o primeiro Lobisomem de uma grande família. O desafortunado indivíduo ganha a perversa maldição por ter desafiado ou destruído um poderoso mago. Ele irá perceber que está amaldiçoado na primeira noite de lua cheia, depois do encantamento. A primeira metamorfose é a mais traumática e uma completa surpresa.


2a: Transmissão hereditária devido ao fato da criança do Lobisomem obter a mesma maldição de seu pai ou mãe. É exatamente o mesmo resultado de ser mordido por um Lobisomem. Se um Lobisomem decidir transmitir a maldição para outra pessoa, é suficiente que ele a morda. Mas normalmente, o Lobisomem irá considerar muito cruel amaldiçoar alguém dessa forma, então escolherá matar e devorar a vítima.
 

3a: Sobreviver à um ataque: Se alguém for mordido e sobreviver, ele vai dormir bastante nas próximas semanas enquanto a doença se propaga por seu corpo. Com a primeira lua cheia, a vítima vai descobrir seu novo e maléfico potencial e um incontrolável desejo de sangue (não limitado à humanos).


4a: Um método discutível de se tornar um Lobisomem é ser mordido por um Lobo que decide amaldiçoar um homem, por qualquer rasão. O princípio continua então como a maldição por mágica, não significando doença, mas metamorfose na primeira noite de lua cheia.
 

Hierarquia das Famílias
 

Um Lobisomem Alpha pode gerar uma série de Lobisomens Beta na terra, tanto por reprodução quanto através de mordida. Este deve absolutamente manter a lealdade dos Lobisomens Beta, porque se não, como são imortais, o resultado será sangrentas batalhas pela liderança da alcatéia. Certos Lobisomens rebeldes podem instigar atritos em uma alcatéia. Sem dúvida, os Lobisomem Alpha, mesmo sendo o líder, não pode realmente machucar um Lobisomen Beta de sua família, pois neste caso todos os danos que ele infligir, serão também infligidos nele próprio, podendo levar à morte. Por outro lado, um Lobisomem Beta pode matar um Lobisomem Alpha sem dificuldade e, assim, libertá-lo da maldição. Para a sorte do Lobisomem Alpha, a alcatéia pode controlar os rebeldes, pois um Lobisomem Beta pode matar outro Lobisomem Beta sem problemas. Usualmente, o Lobisomem Alpha é protegido por um ou mais Lobisomens Beta.


É similar à árvore genealógica onde nenhum pode ferir seus descendentes, mas sim, ferir seus ancestrais e irmãos e , ainda, com o fato de que matar um ancestral irá causar uma quebra na cadeia e abençoar todos da mesma família. A maldição é quebrada quando o Lobisomem Alpha é eliminado.
 

Diz a lenda que quando uma mulher tem 7 filhas e o oitavo filho é homem, esse menino será um Lobisomem. Também o será, o filho de mulher amancebada com um Padre.
 

Sempre pálido, magro e orelhas compridas, o menino nasce normal. Porém, logo que ele completa 13 anos, a maldição começa.
 

Na primeira noite de terça ou sexta-feira, depois do aniversário, ele sai à noite e vai até um encruzilhada. Ali, no silêncio da noite, se transforma em Lobisomem pela primeira vez, e uiva para a lua.
 

Daí em diante, toda terça ou sexta-feira, ele corre pelas ruas ou estradas desertas com uma matilha de cachorros latindo atrás. Nessa noite, ele visita, 7 partes da região, 7 pátios de igreja, 7 vilas e 7 encruzilhadas. Por onde passa, açoita os cachorros e apaga as luzes das ruas e das casas, enquanto uiva de forma horripilante.
 

Antes do Sol nascer, quando o galo canta, o Lobisomem volta ao mesmo lugar de onde partiu e se transforma outra vez em homem. Quem estiver no caminho do Lobisomem, nessas noites, deve rezar três Ave-Marias para se proteger.
 

Para quebrar o encanto, é preciso chegar bem perto, sem que ele perceba, e bater forte em sua cabeça. Se uma gota de sangue do Lobisomem atingir a pessoa, ela também vira Lobisomem.

Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
2
Mitos Urbanos, Lendas & Superstições / O significado da coruja no mundo espiritual
« Última mensagem por Ricardo em Março 12, 2018, 11:40:26 pm »
A coruja é a ave soberana da noite. Para muitos povos ela significa mistério, inteligência, sabedoria e conhecimento. Ela tem a capacidade de enxergar através da escuridão, conseguindo ver o que os outros não vêem. A coruja simboliza a reflexão, o conhecimento racional e intuitivo.
Na mitologia é associada à filosofia e a sabedoria, por ser o símbolo da mitológica deusa grega Atenas.
No xamanismo, a coruja é o símbolo da transmutação, da transformação, pois representa a morte do velho para o nascimento do novo. Esta ligada à verdadeira alquimia, que consiste em pegar o material bruto de que somos feitos e nos transformar em ouro alquímico, a pedra filosofal, a iluminação.
É uma exímia caçadora noturna pela sua aguçada visão e vôo silencioso, sendo por esse motivo também um símbolo ligado aos guardiões que procuram manter a ordem no astral inferior (umbral).
A coruja também é associada à magia antiga, sobretudo a alquimia da alma humana, transformando a pedra bruta em ouro alquímico, o símbolo da iluminação, do renascimento moral.
A coruja é vista por alguns índios americanos como a águia da noite e seu principal símbolo no céu é a Lua.
 
  A coruja representa o olhar além das aparências externas, o olhar que descortina a verdade por trás do véu. Aquela que adentra com a visão aguçada e enxerga a escuridão. A coruja conecta com todas as partes do ser, e permite vencer o temor e aprender a qualidade da consciência do existir e do fluir em todos os níveis.   
A coruja está associada a justiça e a retidão, podendo ter sua força evocada para ajudar em questões legais, sobretudo de natureza kármica (quando os guardiões do astral são diretamente evocados pra capturar algum obsessor. É portanto um bom sinal visualizar uma coruja. 
Fonte: profeciasoapiceem
3
Enigmas e Mistérios / Os mistérios do sangue e a cura emocional da mulher
« Última mensagem por Ricardo em Março 12, 2018, 03:47:01 pm »
Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


A primeira e mais antiga forma de medir o tempo foi pelo ciclo menstrual das mulheres. Olhando o céu e contando os dias para a chegada da menstruação ou para a confirmação da gravidez, as mulheres criaram os primeiros calendários e estabeleceram as bases do conhecimento místico e mágico da Lua. A raiz da palavra “menstruação” vem do latim mens e significa “lua” e “mês”.

Para os povos antigos, a menstruação era um dom dado às mulheres pelas Deusas para que elas pudessem criar e perpetuar a própria vida. A sincronicidade do ciclo lunar e menstrual refletia o vínculo entre a mulher e a divindade, pois ela guardava o mistério da vida em seu corpo e tinha o poder de tronar real o potencial da criação. Esses ciclos também refletiam oas estações e mudanças da natureza, o ventre aparecendo como receptáculo da vida eterna, simbolizado pelo cálice, caleirão ou Graal em vários mitos. Todos os homens nascem da mulher, seus corpos são formados do tecido de seu útero, o sangue que corre na veia do recém-nascido é o sangue de sua mãe. O poder da mulher vem através de seu sangue, por isso ela não deve temê-lo ou desprezá-lo, mas considerá-lo sagrado, imantado com o poder que liga a mulher à Fonte da Criação.

Considerada pelos povos antigos como a “Flor da Lua” ou o “néctar da Vida”, a menstruação passou a ser denegrida e desprezada pelas sociedades patriarcais, que a consideravam a origem do poder maligno da mulher, a marca do demônio, o castigo dado a Eva por ter transgredido as regras e obediência e submissão. Enquanto que nas sociedades matrifocais as  sacerdotizas ofereciam seu sangue menstrual à Deusa e faziam suas professias durante os etados de extrema eansibilidade psíquica da fase menstrual, a Inquisição atribuía esse poder oracular a prova da ligação da mulher com o Diabo, punindo e perseguindo as mulheres “videntes”. E assim originaram-se os tabus, as proibições, as crendices e as superstições referente ao sangue menstrual.

“Tabu” é uma palavra de origem polinésia , cujo significado – “sagrado” – refere-se a tudo aquilo que por ser imbuído de poder especial chamando mana nao podia ser tocado ou usado por pessoas que não estivessem preparadas para lidar com essa energia, o que poderia lhes ser prejudicial. O sangue mesntrual ou pós-partum era impregando de man, sendo por isso considerado sagrado, ou seja tabu.

Com o passar do tempo, o significado da palavra tabu foi deturpado para proibido, reendo uma conoação negativa e até mesmo perigosa, preincipalemnte para homens que temiam esse poder misterioso da mulher. Esse temos vinha do fato de que o homem, quando sangrava, era por ferimento ou doença, com consequências quase sempre fatais.

Infelizmente, milêncios de supremacia e dominios patriarcal despojaram as mulheres de seu poder inato e negaram-lhe até memso seu valor como criadoras e nutridoras da própria vida. Reuzidas a mera reprodutoras, fornecedoras de prazer ou de mão-de-obra barata, as mulheres foramconsideradas incompetentes, incapazes, desprovidas de qualquer valor e até mesmo de uma alma!

Não mais o respeito e a veneração pelo poder sagrado de seu sangue, mas a vergonha, a repulsa, o silêncio sobre “aqueles dias”, as  ausações e explicações cinetíficas dos estados depressivos, explosivos ou da mudança de humor como algo mórbido, que deveria sert ratado com remédios ou indiferença.

Em vez dos antigos rituais de renovação e purificação nas Cabanas ou Tendas da Lua, onde as mulheres se isolavam para recuperar sua energia e abrir seus canais psíquicos para o intercâmbio com o mundo espiritual, a mulher moderna deveria disfarçar, esforçando-se para continuar com suas atribuições cotidianas, perdendo o contato e sintonia com seu corpo e a nenergia da Lua. O resultado é  tensão pré-menstrual, as cólicas, o ciclo deseordenado, o deconhecimento dos “Ritos de Passagem” edos “Mistérios da Mulher”.  As meninas passam por sua menarca sem nenhuma preparação ou celebração, aprendendo, muitas vezes, as verdades sobre seus corpos de forma dolorosa ou prejudicial. Ao chegar na menopausa, a mulhersente-se marginalizada, desprezada, envelhecida, sem receber apoio ou ensinamento  de ocmo atravessar e aproveitar essa nova fase plena de possibilidades e de sabedoria.

Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
 Pelo resurgimento do Sagrado Feminino, as mulheres estão reaprendendo o verdadeiro valor sagrado de seus corpos, de suas mentes e de seus corações. Restabelecem-se os rituais de passagem, celebrando as fases de transição na vida da mulher: a menarca – primeira menstruação – , a maturidade sexual, a gestação, o parto e a menopausa.

É imperativo à mulher contemporânea recuperar a sacralidade de sua biologia. ara isso, ela deve lembrar seus antigos conhecimentos, compreender os verdadeiros mitos e arquétipos de sua natureza lunar, reconhecer o poder mágico de seu ventre e sua conexão com a Deusa.

A sociedade atual, altamente industrializada e intelectualizada, é carente de Ritos de Passagem e Celebrações, preocupando-se apenas com a produtividade, o consumismo e o modismo.

Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
 É vital para a mulher moderna suprir essa lacuna lendo e reaprendendo as antigas tradições, usando sua intuição e sabedoria para adaptá-las à sua realidade moderna, celebrando os Ritos de Passagem.

Esse ato de “acordar” e “relembrar” reconecta a mulher à sua esência verdadeira, dando-lhe novs meios para viver de forma mais plena, harmônica, mágica e feliz.

Extraído do Anuário da Grande Mãe – Mirella Faur.

Fonte: Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
4
Mitos Urbanos, Lendas & Superstições / Coruja será o sinal da Morte?
« Última mensagem por Ricardo em Março 12, 2018, 03:44:19 pm »
Por ser uma ave de rapina noturna, que possui garras e enxerga na escuridão, a coruja pode simbolizar a lua, o misticismo, o bom augúrio; todavia, simbologias atribuídas a este animal variam bastante de cultura para cultura, sendo que muitas delas associam essa ave ao simbolismo espiritual. Para os aborígenes australianos a coruja representa a alma das mulheres.

Por outro lado, muitas crenças associam a coruja com a morte, o desastre, o azar, que por meio de grito ruidoso e olhar penetrante, elas avisam que algo de ruim acontecerá. Não obstante, nalgumas culturas antigas a coruja representava o governante da noite, guardião do submundo e protetor dos mortos.
 Assim, para os astecas, povo pré colombiano que vivia na Península de Yucatán, a coruja simbolizava o "Deus dos Infernos". Sem espanto, algumas culturas creem que as corujas são animais que vêm à terra para comerem as almas dos moribundos. Na Europa, durante a época medieval corujas eram consideradas bruxas disfarçadas. Ainda hoje, a coruja é a divindade da morte e guardiã dos cemitérios.

Na Mitologia Grega, o símbolo de Atena, a deusa da sabedoria e da justiça, era uma coruja uma vez que ela possuía um mascote que, segundo a lenda, lhe revelava os segredos da noite mediante seu poder de clarividência, inspirados pela lua. Atenas corresponde a deusa Romana Minerva, deusa das artes e da sabedoria, que também era representada por uma coruja. Assim, devido à sua capacidade de ver à noite, a coruja foi invocada pelos gregos e também por nativos americanos como um oráculo do conhecimento oculto com poder de clarividência. Em outras palavras, quando os homens dormem, as corujas com seus olhos luminosos, arregalados e, sobretudo, sua visão de longo alcance, inspirada pelo luar, desvendam mistérios pois "enxergam o todo".

Além disso, na mitologia Grega, a coruja representa a figura de Ascáfalo (quando é metamorfoseado), filho de Aqueronte e da Ninfa Orfne e Guarda de Plutão, o Deus dos Mortos. Importante ressaltar que do grego, o termo "coruja" (Gláuks) significa "brilhante, cintilante", enquanto no latim (Noctua) representa a "Ave da noite".

Uma das divindades hindus chamada "Lakshmi", a deusa da prosperidade e da sabedoria, também é representada por uma coruja, nesse caso, branca.
5
Enigmas e Mistérios / Os mistérios das "Sextas-Feiras 13"
« Última mensagem por Ricardo em Março 12, 2018, 03:42:37 pm »
"Sextas-Feiras 13. Essa é uma data que dá arrepios em muitas pessoas, gerando medo e até pânico em alguns casos, devido ao receio de que algo ruim acontece nessa misteriosa data.
Mas qual a origem das crenças referentes às Sextas-Feiras 13? Seriam as lendas ditas sobre essa data apenas invenções baseadas em lendas antigas, ou existe algo de real que possa acontecer nesses assustadores dais? "


O que existe realmente por trás das assombrosas datas "Sextas-Feiras 13"?
Seriam as crenças existentes apenas imaginação popular, ou haveria realmente algo místico e real nessas datas, fazendo acontecer em alguns casos tragédias, acidentes e fatos malígnos?
Seria apenas coincidência?

=================================================================================

A Sextas-Feiras no dia 13 de qualquer mês é considerada popularmente como um dia de azar, também porque o número 13 é considerado de má sorte.
Na numerologia o número 12 é considerado de algo completo, como por exemplo: 12 meses no ano, 12 tribos de Israel, 12 apóstolos de Jesus ou 12 constelações do Zodíaco.
Já o 13 é considerado um número irregular, sinal de infortúnio.
A Sextas-Feiras foi o dia em que Jesus foi crucificado e também é considerado um dia de azar.
Somando o dia da semana de azar (sexta) com o número de azar (13) tem-se, segundo as crinças e superstições, o mais azarado dos dias.

A superstição foi relatada em diversas culturas remontadas muito antes de Cristo.
Existem histórias remontadas também pela mitologia nórdica.
Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados.
Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado, sendo o 13º membro, e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses.
Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituídos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.
Segundo outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, Sextas-Feiras).
Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa.

Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, sendo que os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.
Da Escandinava a superstição espalhou-se pela Europa.
Com relação à Sextas-Feiras, diversas culturas a consideram como dia de mau agouro: Alguns pesquisadores relatam que o grande dilúvio aconteceu na Sextas-Feiras.
A morte de Cristo aconteceu em uma Sextas-Feiras conhecida como "Sextas-Feiras da Paixão".
Marinheiros ingleses não gostam de zarpar seus navios à Sextas-Feiras.
No cristianismo é relatado um evento de má sorte em "13 de Outubro de 1307", Sextas-Feiras, quando a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV de França.

Os seus membros foram presos simultaneamente em todo o país e alguns torturados e, mais tarde, executados por heresia.
Outra possibilidade para esta crença está no fato de que Jesus Cristo provavelmente foi morto numa Sextas-Feiras 13, uma vez que a Páscoa judaica é celebrada no dia 14 do mês de Nissan, no calendário hebraico.
Recorda-se ainda que na Santa Ceia sentaram-se à mesa treze pessoas, sendo que duas delas, Jesus e Judas Iscariotes, morreram em seguida, por mortes trágicas, Jesus por crucificação e Judas provavelmente por suicídio.
Note-se também que, no Tarô, a carta de número 13 representa a Morte.
Alguns incidentes ocorridos nessa data: Mu, terra de nossos ancestrais, foi destruído em uma Sextas-Feiras 13, e esta seria a origem do medo deste dia, segundo o pseudo-historiador James Churchward.

Curiosidade:

Triscaidecafobia é um medo irracional e incomum do número 13.
O medo específico da Sextas-Feiras 13 (fobia) é chamado de parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia.

 A seguir estão descritos alguns acontecimentos verídicos que ocorreram em "Sextas-Feiras 13" (apenas coincidência?):

- O pior incêndio de florestas na história da Austrália ocorreu em uma Sextas-Feiras 13 de 1939, onde aproximadamente 20 mil quilômetros de terra foram queimados e 71 pessoas morreram.

- A queda do avião que levava a equipe uruguaia de rúgbi nos Andes foi em uma Sextas-Feiras 13 de 1972.
Os acontecimentos neste acidente deram origem ao livro "Sobreviventes: a Tragédia dos Andes", de Piers Paul Read, e ao filme Sobreviventes dos Andes de 1976.

- Marinheiros tem um receio especial com relação às Sextas-Feiras 13, evitando sair para o mar e mesmo embarcar em seus navios com medo de desgraças e tragédias que possam acontecer.
No século XVIII, a Marinha Britânica comissionou um navio chamado "H.M.S. Friday" (Sextas-Feiras em inglês) com a intenção de suprimir a superstição.
A marinha selecionou a tripulação em uma Sextas-Feiras, lançou o navio em uma Sextas-Feiras e até escolheu um homem chamado James Friday (Sextas-Feiras) para ser o capitão do navio.
E assim, em uma manhã de Sextas-Feiras, dia 13, o navio partiu em sua primeira viagem - e desapareceu para sempre, nunca mais sendo encontrado.

[13 de Outubro de 1307]:

Dirigentes do rei Filipe IV da França invadiram as casas dos Cavaleiros Templários, que eram monges guerreiros durante as Cruzadas, aprisionando milhares de homens sob a acusação de atividades ilegais. Nenhuma dessas acusações foi provada, mas centenas deles sofreram tortura excruciante sob a intenção de forçar confissões, e mais de cem morreram.

[13 de Agosto de 1521]:

O conquistador Hernán Cortés capturou Cuauhtémoc, o governante de Tenochtitlán, e alegou que a cidade agora era da Espanha, marcando o fim do Império Asteca. Cortés se nomeou o novo governante e rebatizou a cidade de Cidade do México.

[13 de Setembro de 1940]:

Cinco bombas alemãs atingiram o Palácio de Buckingham e destruíram a Capela do Palácio, como parte de uma campanha de bombardeio de Hitler.

[13 de Junho de 1952]:

O avião militar sueco DC-3, carregando uma tripulação de oito pessoas, desapareceu nas águas internacionais do Mar Báltico.
O caso ficou conhecido como “Caso Catalina” porque um dos dois aviões de emergência Catalina enviados para procurar o DC-3 foi atacado por forças soviéticas. Em 1991, a força aérea soviética admitiu ter derrubado o DC-3.

Em Portugal, muitas cidades e vilas celebram a Sextas-Feiras 13.
A maior festa acontece no castelo de Montalegre, em Trás-os-Montes.
Em Montalegre, todas as sextas-feiras 13 há uma grande festa, onde não faltam as bruxas, os bruxos, feitiços, teatro e a famosa queimada.
Na vila de Vinhais, na aldeia de Cidões, também se festeja a Sextas-Feiras 13, onde as pessoas reúnem-se à volta de uma grande fogueira, havendo também um banquete com produtos locais.
Em Cavalinhos, Leiria, as mulheres juntam-se num encontro onde os homens não podem participar.
A noite é das mulheres, que aproveitam para passarem uma noite com muita adrenalina à mistura.
Noutras cidades portuguesas, como Braga, Loulé ou Porto, a Sextas-Feiras 13 é celebrada com muita animação e com muitas bruxas.

O terror das "Sextas-Feiras 13" é algo tão impactante no mundo todo, que foram produzidos os filmes "Sextas-Feiras 13" e suas sequências:

Os Gatos pretos são gatos domésticos com pelagem de cor escura, muito associado à crenças e superstições.
Na Idade Média, acreditava-se que os gatos pretos eram bruxas transformadas em animais, por isso existe a tradição que diz que cruzar com um gato preto é sinal de azar porém, em outras culturas os gatos dessa cor são reverenciados, e significam sorte.
Na Pérsia antiga havia a crença de que quando se maltratava um gato preto, era a mesma coisa que maltratar um espírito amigo, criado especialmente para fazer companhia ao homem durante sua passagem na Terra.

Mas foi mesmo na Idade Média que surgiu a superstição de que os gatos de cor preta davam azar, muito devido aos seus hábitos noturnos, e também pela cor negra, que geralmente é associado às trevas, magia negra e ao diabo.
No século XV, o papa Inocêncio VIII chegou a incluir os gatos pretos na lista de seres hereges perseguidos pela Inquisição, por serem acusados de estarem associados a maus espíritos e por isso, muitos acabavam sendo queimados juntamente com as pessoas acusadas de bruxaria.
É muito comum ouvir histórias de sorte e azar associadas aos gatos pretos, e são um dos símbolos da sexta feira 13.
Os gatos pretos também foram muito referenciados na cultura popular, além de serem citado em textos e filmes de suspense e terror, e um dos contos mais populares é “O Gato Preto” de Edgar Allan Poe, onde ele responsabiliza o felino por uma série de acontecimentos sobrenaturais.

Observa-se que ocorrem muitos maus tratos à Gatos Pretos, principalmente em Sextas-Feiras 13, devido à ignorância de pessoas que associam esses inocentes animais à magia negra.
É sempre importante lembrar que maus tratos à animais é crime, passível de punição perante a lei, além de demonstrar a falta de caráter de quem pratica esse tipo de delito, pois os animais também tem sentimentos, sentem dor e sofrem, assim como os seres humanos.
Por isso sempre deve-se tratar todos os animais, inclusive os gatos pretos com respeito, carinho e bons tratos.

=================================================================================

Se uma maneira ou outras, sempre é conveniente tomar cuidados especiais em "Sextas-Feiras 13", pois nunca se sabe o que poderá acontecer!
6
Priorado de Sião

Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


O Priorado de Sião foi criado para proteger um dos maiores segredos da humanidade — a prova de que Jesus e Maria Madalena foram casados e tiveram uma filha. Segundo a “lenda”, esse fato teria gerado uma ilustre linhagem (os Merovíngios), que através dos séculos tornaram-se reis, filósofos, alquimistas, cientistas e políticos de tal importância que influenciaram e interferiram no desenrolar da história do mundo.
A atuação tanto dos descendentes diretos da sagrada família quanto dos membros da Ordem do Priorado de Sião sempre foi e continuará sendo nos bastidores da história. Uma informação como essa já seria suficiente para abalar a estrutura da sociedade como a conhecemos, pois nos confronta com uma possível realidade que faz tremer os alicerces da Igreja Católica, dos Evangélicos e das demais seitas pseudocristãs.
Muito do que tem sido escrito a respeito do Priorado é sempre apresentado de maneira fragmentada e envolto em uma bruma de mistério. Os dogmas e as doutrinas de religiões como o Judaísmo, o Islamismo e o Cristianismo, este último transmutado no que conhecemos hoje como Catolicismo, têm algo em comum: a supressão do elemento feminino como uma parte integrante e de igual valor no que se refere à importância deste elemento na formação e nos conceitos dessas religiões.
A relevância da mulher e seu papel, sem um rompante de feminismo absoluto, foi sendo suprimido pela Igreja Católica ao longo dos primeiros séculos de nossa era até nossos dias. Isso é facilmente comprovado quando analisamos a situação da mulher nessas doutrinas.
A elas foi relegado um papel secundário, sem uma atuação efetiva. Não há, por exemplo, nessas religiões, o ordenamento ao sacerdócio para mulheres, apesar de nos primórdios do Cristianismo a mulher e o sagrado feminino, conceito oriundo do Paganismo e posteriormente do Gnosticismo, tivessem uma atuação e um papel algumas vezes principal ou de igual valor ao masculino.
Isso se aplica ao que aconteceu à Maria Madalena e, também de forma genérica, à Virgem Maria (Mãe de Jesus).

Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
7
Teorias de Conspiração / Múmia com 1500 anos calça ténis da Adidas?
« Última mensagem por Ricardo em Março 06, 2018, 12:23:27 am »
Ontem enquanto lia algumas noticias na Internet, deparei-me com esta situação.
Qual é a vossa opinião sobre este caso? Será verídico? Será falso?

Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


Depois de reveladas imagens da descoberta da múmia começou a surgir a teoria de que esta é a prova de que é possível viajar no tempo.

Há dias foram divulgadas as primeiras imagens de uma múmia com cerca de 1500 anos descoberta nas montanhas Altai, na Mongólia. Um pormenor chamou a atenção de muitos dos que viram essas fotografias: a múmia tem calçado algo que se assemelha a uns ténis da marca Adidas, fundada em 1949 na Alemanha. A partir daí, começou a discussão na Internet: será esta a prova de que é possível viajar no tempo?

"Não sabia que havia Adidas nessa época!", comentou uma pessoa. "A múmia teve umas Adidas em primeira mão?", escreveu outra. "Deve ser um viajante no tempo. Sabia que iriam encontrar um mais cedo ou mais tarde", gozou outra.

Piadas e teorias da conspiração à parte, por agora foram apenas descobertas partes desta múmia, que parece ser o primeiro turquico (grupo linguístico que abrange desde os uigures na China aos turcos atuais) a ser sepultado na Ásia Central. Os restos mortais foram encontrados nas montanhas Altai, a cerca de 2800 metros de altitude, e estão a ser estudados pelos peritos do museu Khovd, na Mongólia.

B.Sukhbaatar, perito do museu, afirmou que parece tratar-se de uma mulher e que esta não seria da elite.

Junto às partes do corpo foram encontrados uma sela, um freio, os restos de um cavalo inteiro, um vaso de barro, uma chaleira de ferro, uma tigela de madeira e algumas roupas. Havia ainda almofadas, uma cabeça de ovelha e um saco de viagem onde foram colocados todo o corpo da ovelha, osso de cabra e uma bolsa de couro para o copo. "Estes achados mostram-nos as crenças e os rituais dos turquicos", afirmou o perito, citado pelo The Siberian Times.


Fonte: dn.pt/sociedade/interior/mumia-com-1500-anos-com-tenis-da-adidas-5124068.html
8
Teorias de Conspiração / A crucificação de Jesus teria sido uma farsa? Ele teve filhos?
« Última mensagem por Ricardo em Março 06, 2018, 12:22:48 am »
Sinopse: A crucificação de Jesus teria sido uma farsa? Ele teve filhos? Estas perguntas sustentam uma teoria da conspiração segundo a qual a linhagem de Jesus teria sobrevivido até os dias atuais, protegida por uma organização chamada Priorado de Sião, na França.

9
Teorias de Conspiração / A História Secreta da Raça Humana (Projeto Camelot)
« Última mensagem por Ricardo em Março 06, 2018, 12:22:21 am »
Este vídeo é uma apresentação de 45 minutos, com um comentário pessoal de Klaus. Tem riqueza de dados, detalhado, intenso, absorvente e pode conter mais informações surpreendentes sobre a história da raça humana em um só lugar que qualquer outro vídeo que eu já vi.

A viagem em que embarcamos abrange Atlântida, reptilianos humanóides, os Anunnaki, simbolismo antigo, a ciência antiga, uma língua antiga global e muito mais. Este material é surpreendente e tem a minha mais alta recomendação. Aprecie-o.


10
Teorias de Conspiração / A queda da farsa - World Trade Center
« Última mensagem por Ricardo em Março 06, 2018, 12:21:57 am »
A queda da farsa - World Trade Center

Não só o World Trade Center caiu como também a história de sua queda, Cientistas encontraram Nano Thermite em meio aos destroços do edifício, que é uma mistura de pó de alumínio e ferrugem, que quando reage cria um calor intenso, utilizado para soldas e com capacidade de derreter aço, a notícia não é de agora, mas para quem deixou passar aqui vai parte do que realmente aconteceu no dia 11 de setembro de  2001.

“Uma equipe de oito pesquisadores liderados pelo professor Niels Harrit da Universidade de Copenhaguem (Dinamarca), comprovaram a existência de explosivos altamente tecnológicos em amostra dos escombros das torres gêmeas e do prédio 7.

Essa pesquisa vem a confirmar um trabalho semelhante previamente executado pelo professor Steven Jones nos Estados Unidos. Outras matérias que que vem de encontro a esse achado são as do time de Arquitetos para o 911.

Com esse achado se explica a queda livre dos prédios num processo de demolição. Os aviões não poderiam derrubar as torres gêmeas devido a temperatura do combustível não ser suficiente para derreter aço. O impacto também não pode ter afetado a estrutura no nível afirmado pelo governo americano, uma vez que o prédio foi desenhado para suportar aviões daquele tamanho. Ferro derretido na base dos prédios ficou vivo por várias semanas.

E por três meses fotos infravermelha de satélites mostraram bolsões de alto calor nas três torres. Larry Silverstein comprou o leasing do WTC entre 2000 e 2001. dois meses antes do “ataque” ele assegurou os prédios em dois bilhões de dólares contra ataque terrorista, algo como todos sabemos um tanto incomum. O ataque 911 serviu para:

1. Criar ódio contra os arabes e fomentar as guerras americanas na saga pelo óleo e a hegemonia Israelense no Oriente Medio. Tambem chamado False-Flag.

2. Desaparecer com 1,5 trilhões de dolares a fundo perdido das contas do Pentágono (Rumsfeld declarou um dia antes).

3. Documentos provas contra a Enron que desapareceu na queda do prédio 7.

4. Auto-pagar os empreiteiros, talvez via Larry Silverstein e a fortuna que ele arrecado de seguro. Existem evidências que agentes do Mossad (serviço israelense) foram capturados no dia, alguns comemorando a queda do topo de uma van, e outros carregando explosivos. Todos foram libertados pelo FBI. (essa informação precisa ser confirmada).”

Abaixo segue uma reportagem de um jornal Dinamarquês com Niels Harrit, o professor que liderou o grupo de oito pesquisadores.



Como que um edifício cai tão perfeitamente em um sentido de demolição? a não ser por explosivos, da mesma forma citada acima, o combustível dos aviões não tinha temperatura suficiente para derreter o ferro, a não ser que realmente tenham usado efeitos químicos para corroer rapidamente, esse fato só demonstra o que o governo americano é capaz de fazer para manter a sua hierarquia soberana e seus objetivos desordeiros para manipular toda uma nação.

Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
Páginas: [1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10