Autor Tópico: Deus e a violência contra as mulheres  (Lida 48 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Mestre_Cruz

Deus e a violência contra as mulheres
« em: Novembro 06, 2017, 09:03:47 pm »
Na Bíblia, em Génesis 3:16 está escrito:
   “ -  E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”.

     Tenho a impressão que as mulheres nunca se aperceberam da amplitude deste castigo.

     A acreditar no que está escrito o deus do amor dirige uma praga contra as mulheres, condenando-as ao sofrimento físico aquando do nascimento de um filho, faceta pela qual passam a maioria das mulheres.
 
     Embora o pecado esteja em sentido figurado ele condena não só quem o praticou como também todas as gerações futuras de mulheres, e é interessante o facto de num momento de cólera se ter lembrado logo do momento do nascimento dos filhos para nessa hora exercer o seu castigo. Com todo um rol de dores que poderia ter utilizado foi logo incidir nas dores do parto.

     -”… e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”. Aqui deus lança a semente do que agora consideramos como violência doméstica. Dominação é autoridade absoluta, é posse, é ser dono, o que faz da mulher uma escrava aos desejos do marido.

     Embora no caso das dores do parto ele se use de uma situação com a qual não tem nada a ver, pois as dores do parto são a consequência de termos uma alma que amplia  as sensações do corpo e as dores do parto não são exceção, no segundo caso instiga os homens a dominar as mulheres, obrigando-as a aceitar a humilhação que lhes é imposta.

     Para os homens tal castigo foi musica para os ouvidos o que fez com que o aceitassem ainda com mais fervor (é com truques como este que se angariam adeptos), mas para as mulheres foi um golpe fatal para a felicidade.

     Este castigo aplicado às mulheres tornou-as inferiores ao ponto de nem na escolha do marido puderem ter vós ativa. Era o pai que escolhia o genro que achasse mais conveniente aos seus interesses e obrigava a filha a aceitá-lo como esposo.

     Parece coisa pouca, mas imaginem-se a viver com alguém com quem não simpatizam e a terem que se entregar fisicamente a essa pessoa para toda a vida. Eram anos a sentirem-se violadas física e mentalmente e obrigadas a exteriorizarem uma felicidade inexistente. Façam o exercício mental de imaginar a vossa vida nessas condições e tirem as vossas conclusões.

     Temos que ter em conta que deus não permitiu que os homens agissem dessa forma, o que ele fez foi ordenar que fosse feito dessa maneira.

     Outra humilhação contra as mulheres foi considerá-las impuras aquando da menstruação, impondo-lhes uma série de condicionantes ao que poderiam fazer durante esse tempo. Dessa forma todos os meses fazia com que as mulheres se lembrassem de um pecado de que não tinham culpa e que os homens as culpassem por terem sido expulsos do paraíso e terem que agora trabalhar para fazerem pela vida. Eram duplamente punidas e chama-se a isto condicionamento mental.

     Qualquer um que leia a bíblia observará que nela existe uma quantidade de restrições e punições unicamente direcionadas às mulheres.

     Antes que me venham dizer que a bíblia foi escrita por homens e que por isso mesmo pode não transcrever a palavra de deus, eu contraponho que se não correspondesse à sua vontade ele mesmo nas muitas vezes que apareceu aos profetas ou que lhes enviou mensagens através dos seus anjos teria ordenado que tais ensinamentos deveriam de ser apagados dos seus escritos. Nem Jesus quando cá esteve fez questão de alterar a lei. Não o fez e quem cala consente.

     Dizem que Jesus veio mudar muitas das leis escritas no AT, mas até ele manteve as mulheres longe das práticas doutrinárias como era ordem de deus. Nenhuma mulher foi recrutada para apóstolo. Os exemplos valem mais que mil palavras.

     Deus em relação às mulheres age mais como a mulher que se vinga da amante do marido, do que como um pai que pune a desobediência de uma filha.

     Serve toda esta lenga-lenga para demonstrar que a violência contra as mulheres e especialmente a que é praticada pelo pai e marido dentro do próprio lar é um desejo de deus. Se está correto que assim seja já é outra história, mas insondáveis (ou talvez não) são os planos divinos…

     Não faltará quem agora queira adoçar a pílula, mas o veneno continuará sempre no seu interior por muito doce e apetecível que seja por fora.


Especialista em Trabalhos de Ocultismo
Tel/Whatsapp : (+351) 938325882

Tags: